Levy de Abreu Vargas

HUMANAS

Em fevereiro de 2019 viajei com a Leonor para visitar nossa filha que mora em Portugal. Como todos sabem, Portugal é a pátria mãe do Brasil e ao chegar lá nos sentimos totalmente em casa. Lisboa é de uma beleza clássica com casarios milenares, sítios históricos, castelos medievais, museus e uma beleza natural que rivaliza em parte com o nosso Rio de Janeiro. Foram dias deslumbrantes viajando, visitando, conversando, comendo e, claro, também bebendo (um pouco) do bom vinho que se produz por lá.

De todas as experiências que vivemos eu trouxe uma que vou compartilhar: Há uma rede de lojas chamada “HUMANAS”. Isso mesmo que você leu. Os gestores desta empresa têm uma política que faz toda a diferença. Lá você pode doar roupas em bom estado e pode também comprar roupas e agasalhos a preços simbólicos. Por exemplo, eu comprei um agasalho que me aqueceu por toda temporada por apenas três euros, algo em torno de R$ 20,00 em moeda corrente. Leonor comprou um sobretudo que serve até hoje por algo semelhante, e o mais interessante é que toda a renda (e não é pouca) é doada à instituições sem fins lucrativos.

Essa semana em nossa reunião ministerial, o diácono José Carlos nos falou sobre o desejo dos homens (UHB) promover uma campanha de arrecadação de agasalhos e cobertores. Eles estavam saindo em missão no último sábado e se depararam com várias pessoas dormindo sob a marquise da Lanchonete Maranata, em frente ao templo da Igreja. Essa é apenas uma pequena parcela das dezenas que vivem ao relento em nossa cidade. Segundo a Secretaria de Desenvolvimento Social da Prefeitura há mapeados cerca de doze pontos, com quase uma centena de pessoas vivendo em condições deploráveis.

A meteorologia está avisando há bastante tempo que este seria um longo e rigoroso inverno com muitas consequências, e os resultados já estão aí nos noticiários. Meu apelo neste domingo é que você possa fazer alguma coisa afim de ajudar quem precisa. Lá em Portugal há um programa social bem sofisticado mantido pelo Governo para atender a população de rua e ajudá-las e encontrarem um pouco de calor humano. Aqui no Brasil também há, mas são poucos e precários, a maioria mantida por Igrejas e instituições de caridade, mas creio que com sua ajuda poderemos fazer mais.

Com certeza vai levar tempo até chegarmos ao Padrão HUMANAS, mas até lá, vamos fazer o que podemos. Seja humano e doe um cobertor, um agasalho, um pouco de alimento, um pouco de solidariedade, um pouco de misericórdia e colha os frutos da sua liberalidade. Mateus 25.31-46.

Pastor Levy de Abreu Vargas

Pastor Levy de Abreu Vargas

NEGRAS RAÍZES

Amanhã começa nossa terceira semana de oração de 2021 e o foco será a geração Jovem, pois quem anda de tênis, camiseta, gosta de hip-hop, surf e skate também deve dobrar os joelhos. A oração não deve excluir as outras atividades e a esperança da Igreja repousa neles. Todos sabemos que dentro de cinco, dez ou no máximo quinze anos, eles serão os adultos que estarão tomando as decisões acerca da família, da sociedade e do planeta. Então é melhor irem se preparando.

Para levar esse projeto adiante temos planos arrojados e o começo deles será com essa semana de oração, que na verdade será uma semana de reflexão, comunhão e muito aprendizado com alguém que está no centro dessas discussões. Um Jovem Pastor que está conectado e operante em nossa Juventude Batista Brasileira. Ele vai falar na segunda, terça, quinta e sexta feiras sempre às 19.30h.

Ronan Lima é casado com a Natane e pai da Alice. Eles são uma família que trabalha com os Jovens da Igreja Batista em Bairro Alian, em São João de Meriti. Além de casado ele é mestrando em Teologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC), graduado em Teologia pelo Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil e publicidade e propaganda pela UCB. Tem uma larga experiência (12 anos) no trabalho com adolescentes e ainda desenvolve pesquisa sobre NEGRITUDE E ESPIRITUALIDADE CRISTÃ, com ênfase na Teologia negra.

Convidamos o Pastor Ronan para vivermos uma experiência nova, pois será nosso primeiro preletor acadêmico, que vive na periferia e tem o foco de pesquisa em nossas raízes de afro-descendência. Sabemos que serão dias especiais e convidamos você a deixar o seu conforto e voltar ao Templo com seus filhos e ouvir o que o Senhor certamente vai falar à Igreja. Além do Preletor, teremos também uma boa música e claro, momentos de oração.

Pastor Levy de Abreu Vargas.

Pastor Levy de Abreu Vargas

OREMOS PELO GOVERNO

Desde que o Presidente Bolsonaro se elegeu, as redes sociais têm veiculado um discurso de ódio contra os evangélicos, mais particularmente contra os Pastores, culpando-os por todos os problemas que o Brasil sempre teve e foi agravado pela pandemia. Isso é uma grande tolice, pois fragmentada como é a Igreja Cristã no Brasil, ela não garante a vitória de nenhum candidato majoritário, se fatores externos não cooperarem para isso.

Se houve um ou vários pastores que levaram candidatos à Igreja e pediram votos, é um direito legítimo do líder orientar seu rebanho sobre aquilo que lhe parece ser o melhor para todos, mas isso aconteceu com candidatos da esquerda e da direita, então não podemos generalizar e culpar a liderança evangélica pelas mazelas que passa o país, até porque o voto é secreto e a liberdade de consciência é um direito inalienável garantida pelo ordenamento jurídico. O que houve no Brasil em 2018, foi o mesmo fenômeno que elegeu o candidato de 2002. Então, vamos respeitar o que aconteceu nas urnas e aguardar 2022.

Há um pensamento corrente nas democracias do mundo que prega o seguinte: “Políticos e fraldas devem ser trocados de tempos em tempos, pelos mesmos motivos”. Isso significa que não há governo humano que seja perfeito, puro, santo e irrepreensível. Eles cometem falhas e para isso temos as instituições que também são falhas, mas funcionam medianamente bem.

A bem da verdade, a Igreja evangélica – a Igreja Cristã de um modo geral – sempre foi mais afinada com a esquerda, pois sempre pregou a Igualdade, a liberdade, a fraternidade e a composição dos conflitos pela mediação divina através das orações , do amor e do perdão, nessa ordem.

Culpar os pastores pelos erros do atual governo é o mesmo que culpar o fabricante de armas pelas mazelas que elas provocam. Elas não foram feitas para provocar mazelas e sim para garantir a paz, contudo o uso que se faz delas é responsabilidade pessoal.

Aguardemos 2022 e oremos pelo atual governo.

Pastor Levy de Abreu Vargas

Primeira Igreja Batista em Nilópolis

MINHA OFERTA MISSIONÁRIA

EBF na Pandemia.

Hoje começamos a campanha de arrecadação de fundos para a Escola Bíblica de Férias de 2021. No passado, a Igreja previa no orçamento uma verba generosa para esse evento que chegou a receber mais de 300 (trezentas) crianças durante uma semana inteira. Em 2020, a irmã Gilmara improvisou com sua trupe uma EBF online e 2021 será novamente presencial com um número bem reduzido de crianças e voluntários, mas vai acontecer e, para tanto, contamos com sua colaboração.

Nosso alvo é levantar R$ 3.000,00 (três mil reais) para atender 160 crianças e em dois turnos no sábado 24 de julho próximo. Isso significa uma verba per capita de apenas R$ 18,75 (dezoito reais e setenta e cinco centavo), um valor muito baixo em relação ao benefício que o evento se propõe. Nesse valor estão inclusos o material didático, a ornamentação, os mimos que são distribuídos aos participantes e claro, o lanche que não pode faltar em uma EBF de verdade. O lanche não é só para as crianças, mas também para os voluntários que já começaram a trabalhar.

Nosso projeto é dividir o valor do evento por até cem pessoas com uma oferta pessoal de R$ 30,00. Quem puder dar mais, por favor, não seja tímido, deixa o Senhor te usar, pois o que vem a mais nunca atrapalha. Como estamos em tempos de escassez, nossa proposta é uma oferta de R$ 10,00 (dez reais) a cada domingo até o dia 18/07, pois o evento já será no sábado seguinte, 24/07/2021.

Além de ofertar quero fazer um apelo para você também orar, orar pela irmã Gilmara, pela equipe que vai dar suporte a ela, orar para que essa oferta ultrapasse o alvo (se ultrapassar, o excesso irá para o fundo missionário, pois temos alvos arrojados ainda para este ano), orar por essas crianças, muitas da própria Igreja, mas outras virão por indicação, e muitas nem fazem parte de uma Igreja cristã.

O apelo está feito: Eu, minha esposa e minhas filhas já aceitamos os desafios e cremos que seu coração missionário também fará o mesmo. Portanto, rumo ao trabalho missionário urbano com a realização da EBF da pandemia.

Pastor Levy de Abreu Vargas

Pastor Levy de Abreu Vargas

UMA NOVA GESTÃO PARA UMA NOVA IGREJA

Na última quarta feira, 16 junho 2021, a Assembleia geral da Igreja aprovou por unanimidade os princípios que vão dar sustentação ao novo modelo de gestão Eclesiástica a partir de 01 de janeiro de 2022, inicialmente terá um caráter experimental de dois anos e, se der certo, torná-lo definitivo depois de 2024. Abaixo fizemos de forma resumida os cinco princípios que nortearão nosso trabalho:

1- ORAÇÃO
O mais importante mistério deixado por Jesus para seus discípulos é a oração. Ele não começou sua vida pública pregando ou realizando milagres, mas orando no monte da tentação e sendo provado, provado e provado até ser aprovado. Fez da oração a base da sua vida no mundo. Jesus orou por 40 dias no monte antes de iniciar seu ministério e continuou orando no desenvolvimento dele.

2- EDIFICAÇÃO
Não basta orar, é preciso agir. Dizem que a palavra oração é composta de duas outras palavras: Orar + Ação = Oração. A equação só tem resposta quando agimos. A edificação é um complexo processo que se inicia com a conversão e nos acompanha ao longo de toda a vida tendo como alvo a estatura do varão perfeito citado pelo Apóstolo Paulo. Para isso é importante a edificação através da Igreja, ela é a grande escola de vida que nos prepara para um viver santo em um mundo pecaminoso.

3- TESTEMUNHO CRISTÃO
O testemunho Cristão é a nossa identidade de fé, é a vida vivida naturalmente pelo agir e não pelo falar. O testemunho Cristão tem que ser um estilo de vida no qual o próprio Jesus seja revelado através de nossas ações até mesmo mais que por nossas palavras.

4- DISCIPULADO
Ao receber a Jesus Cristo pela fé como Senhor e Salvador da minha vida e de minha alma, eu também me torno mais um dos seus muitos discípulos e isso importa uma grande responsabilidade. Não basta crer e aprender, é preciso viver e aplicar aquilo que cremos e sabemos. O discipulado é isso: compartilhar a vida que alcançamos pela fé, alcançando mais vidas para que elas também se beneficiem daquilo que cremos e vivemos.

5- COMPAIXÃO
Compaixão não é apenas comida, bebida, agasalhos, remédios ou dinheiro. Compaixão é a graça de Deus revelada por mãos e vozes de milhões de “Samaritanos” que sentem a dor do próximo. Os problemas sociais são muitos e são complexos, mas o maior deles é de pessoas que estejam dispostas a servir sacrificialmente à sua geração como um servo servidor.

CONCLUSÃO
Queremos lembrar que esse é apenas um projeto, um propósito ou, se preferir, um sonho para a Igreja de Cristo, que em nosso caso caminha para seu primeiro centenário. Ele não tem implicações na estrutura administrativa (regimento interno, diretoria estatutária ou valores denominacionais). É uma proposta para uma nova gestão Eclesiástica, pois o modelo atual, embora tenha sido eficiente por mais de duas décadas, revela com todas as letras que precisa de uma nova versão, mais ágil, eficiente, contextualizado e com resultados mensuráveis.

Pr. Levy de Abreu Vargas

Pastor Levy de Abreu Vargas

TESOUROS EM VASOS DE BARRO

Em 1947, um grupo de Beduínos encontrou ao acaso centenas de vasos de barro nas cavernas de Quran, uma região próxima ao Mar Morto em Israel. Dentro desses vasos havia centenas de pergaminhos com textos inteiros de livros do Velho Testamento além de outros documentos. Estudos arqueológicos provaram que os documentos tinham mais de dois mil anos e só ficaram preservados por estarem dentro dos potes de barro em um local de baixa umidade. Esses documentos ficaram conhecidos como os pergaminhos do Mar Morto e seu valor é incalculável.

Em sua segunda carta aos cristãos de Corinto, o Apóstolo Paulo compara o ministério Pastoral a um tesouro guardado em vasos de barro (II Coríntios 4.7) e é verdade, os pastores são anjos de Deus enviados ao mundo com a missão de levar os homens a Deus, mas eles mesmos estão sujeitos às mesmas fraquezas e paixões que todos os mortais, portanto sua embalagem é frágil, mas o conteúdo tem muito valor.

Os pastores são despenseiros dos mistérios de Deus, são porta-vozes e intérpretes do próprio Deus, são canais para abençoar, validar e legitimar atos que dependem da bênção de Deus. São eles que dedicam nossos filhos, batizam, casam, celebram as bodas e sepultam com as honras cristãs os nossos mortos. Estão mais presentes na tristeza que na alegria, mais na enfermidade que na saúde. São eles que consolam e confortam as nossas almas. Em suas mãos estão contidas as bênçãos do Senhor, mas são humanos.

Há pastores vaidosos, levianos e até mercenários que se aproveitam do rebanho para enriquecer, vender amuletos (Óleo, sal, folhas de oliveira e até água ungida contra o Covid) e eleger políticos para proteger seus interesses, mas esses são nuvem sem água e névoas levadas pela tempestade, para os quais está reservada a escuridão das trevas.

Contudo, a esmagadora maioria dos pastores são homens e mulheres probos, lideres de pequenas e até grandes congregações que primam pela pregação da palavra e pelo ensino das sãs doutrinas, sabendo que darão contas a Deus do que fazem e do que deixam de fazer. Para esses e tão somente para esses, a Igreja entendeu separar o segundo domingo de Junho para homenageá-los pela lisura como conduzem o ministério.

A PIBN tem um colegiado de pastores que graças a Deus, até aqui, honraram o ministério e à Igreja e a eles dedicamos esse texto. O livro de Hebreus nos exorta: “Lembrai-vos dos vossos Pastores… Hebreus 13.7 e17”.

Pastor Levy de Abreu Vargas

Pastor Levy de Abreu Vargas

EM BUSCA DA SABEDORIA

Na quarta feira, 24/02/2021 iniciamos uma jornada inédita com a Igreja: Estudar o livro de Provérbios através de tópicos buscando a Sabedoria, e desde então já se passaram onze semanas, onze estudos, onze oportunidades de crescer no conhecimento da vontade de Deus, para desfrutarmos uma vida melhor com nossa família e com aqueles que nos são importantes.

O livro de provérbios é um livro de sabedoria prática. Ele revela através de textos curtos e objetivos que a vida é muito simples, mas a natureza humana torna essas relações difíceis e bem complicadas, mas elas podem ser melhoradas se considerarmos esses conselhos como placas de sinalização na longa estrada da vida. Este livro, assim como toda a Bíblia Sagrada, é uma fonte inesgotável de sabedoria, mas por causa da preguiça e da indiferença, muitos deixam de tirar o melhor que a vida pode proporcionar.

O livro foi escrito com objetivos práticos. Logo no início lemos que a finalidades dos provérbios era dar ao simples a prudência, aos jovens o conhecimento e aos sábios a habilidade de discernir e ensinar os enigmas ocultos nas palavras e nas relações. Na teoria do Direito, há uma expressão chamada de JUSNATURALISMO. Essa palavra define com muita propriedade o direito do bom senso, da racionalidade, da equidade, da igualdade, da justiça e do pragmatismo. O direito natural não se propõe a descrever as questões relacionais por meio de tratados robustos e complexos, mas avaliar as opções humanas com o propósito de agir de modo razoável e garantir os direitos naturais que são considerados evidentes. O livro de Provérbios nos lembra que esses direitos são assuntos morais que implicam no mais profundo da dignidade humana.

Ainda faltam dois estudos. Você deve considerar a oportunidade de participar e ouvir o que Deus tem para sua vida relacional. Lembre-se que a sabedoria serve de sombra, como de sombra serve também o dinheiro; mas a excelência da sabedoria é que ela dá vida ao seu possuidor. Eclesiastes 7.12.

Pastor Levy de Abreu Vargas

Pastor Levy de Abreu Vargas

TEMPO DE VOLTAR

Há na Bíblia Sagrada um texto muito oportuno para um tempo como este que estamos vivendo. Foi escrito por Salomão: “Há tempo para todo propósito debaixo de céu, tempo de nascer, tempo de morrer, tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou…tempo de Guerra e tempo de Paz. Eclesiastes 3.1-8.

Nos últimos catorze meses a Igreja viveu o tempo de afastamento, do isolamento, do confinamento, do pavor e da tristeza em razão da pandemia e das muitas perdas que o Brasil e o mundo sofreram. Chegou a hora de “sacudir o pó”, levantar as mãos e retomar o curso das nossas vidas. Precisamos “voltar ao eixo”, lembrando de que temos uma missão a cumprir.
Nosso retorno de fato começou no primeiro domingo de maio e o ponto alto foi no terceiro domingo com a celebração da Ceia do Senhor mas ainda estamos muito tímidos, desconfiados e talvez um pouco acomodados com o estilo de vida que tivemos nos últimos meses.

Confesso que gostaria de ser surpreendido pela Igreja. Ficaria feliz de ser constrangido a criar um segundo, terceiro e quem sabe um quarto culto para atender a grande demanda de frequência. Uma coisa é estar em casa participando de forma remota, outra coisa é estar no Templo, vendo e sendo visto por pessoas, olho no olho ou, como estamos nos acostumando: “Vida na Vida”.

Isso não significa ignorar os cuidados essenciais que ainda permanecerão por algum tempo, significa que a alegria voltou a pulsar em nosso santuário, em nossos corredores, em nossas salas e em nós mesmos. Voltar com alegria para a comunhão, o louvor e a bênção do Senhor em seu Santo Templo.

Pastor Levy de Abreu Vargas

Pastor Levy de Abreu Vargas

SEU MAIOR PATRIMÔNIO

Amanhã começa nossa segunda semana da segunda jornada de oração da Igreja, lembra? Cada ano uma jornada e cada jornada cinco semanas. Essas jornadas foram planejadas para acontecer por vinte anos e assim faríamos 100 jornadas para celebrar os 100 anos da Igreja em 2039. Já vencemos a primeira (2020) e agora estamos realizando a segunda. Cada participante está devidamente inscrito e serão parte de um grande memorial que vamos montar a cada cinco anos. Aguardem.

O preletor da próxima semana é alguém muito próximo, e ao mesmo tempo bem distante. Próximo na amizade, na comunhão e na intimidade, mas distante porque passa o maior tempo cumprindo agendas fora da Igreja e do Brasil. Ele é o Diretor da Missão Josué, uma organização missionária que leva voluntários por temporadas em diferentes lugares no Brasil e no mundo. Eu mesmo já participei de uma dessas “temporadas” no Chile e foi uma experiência incrível.

Pregando em tantos lugares, nosso Pastor Charles quase não é visto na Igreja, mas esse é o seu ministério e temos orgulho de tê-lo em nossos quadros de obreiros. Por conta da pandemia sua agenda Internacional ficou vaga, então aproveitamos a “brecha” e o convidamos para ser o próximo ministrante por uma semana. Como estamos em Maio não poderíamos encontrar alguém mais qualificado para falar às famílias.

Ele é casado com a irmã Fabrícia há 30 anos, o casal tem duas filhas: Raíssa e Rafaela. Raíssa é casada e serve como missionária da Missão em território Francês, Rafaela está cursando veterinária e deve casar em breve. O Casal trouxe para nossa Igreja os cursos do MMI (Marriage Ministries International), uma organização Cristã que tem como foco o fortalecimento da família. Ela é a responsável pelo treinamento do pessoal e a preparação do material didático dos Cursos Casados para Sempre, Pais para toda vida, Mulher Única, Homem ao Máximo e o Curso de Noivos. Pastor Charles é licenciado em quase todos esses cursos e já ministrou a casais na França, Chile, Dinamarca, México, Argentina, Uruguai, e claro em muitos lugares no Brasil, agora fará isso em sua própria Igreja.

Portanto, agende-se e participe: Segunda semana de oração de 2021 em sua Igreja e em seu lar todos os dias às 19.30h. O evento será também presencial para quem está fora do grupo de risco ou já está vacinado. Não perca essa oportunidade de investir em sua família, seu maior patrimônio.

Pastor Levy de Abreu Vargas

Pastor de Levy de Abreu Vargas

DIA DAS MÃES SEM MÃES

Ano passado tivemos pela primeira vez uma comemoração do dia das mães sem a presença delas. Estávamos em pleno Lockdown e não era permitido nenhum tipo de aglomeração, além disso, o espaço de onde transmitíamos as Lives era muito pequeno, impróprio para qualquer celebração com mais de 20 pessoas. Mesmo assim tivemos culto pela manhã e noite.

Um ano depois e a situação mudou muito pouco. Apesar de podermos ocupar até 25% da lotação do Templo (cerca de 100 pessoas), não estamos muito entusiasmados em tirar nossas mamães de dentro de casa por uma razão simples: Ainda estamos em pandemia. Nosso Estado continua com muitos casos e Nilópolis ainda está em alta em relação à doença. A boa notícia é que a Igreja tem dado a maior contribuição para que pode dar para erradicar a enfermidade. Cedemos o espaço do ginásio e estamos cedendo água para as instalações sanitárias e parte da iluminação do ginásio. É a nossa contribuição neste tempo de escassez.

Não teremos um culto primoroso como sempre fazíamos até 2019, mas faremos o melhor que pudermos para oferecer um culto racional, vivo, santo e agradável a Deus que será nossa participação presencial ou remota. Temos certeza de que o Senhor será glorificado na vida de nossas irmãs em todas as circunstâncias, estejam onde estiverem. Também estaremos orando para que essa “onda” passe e a igreja muito em breve tenha seus cultos presenciais e vibrantes como sempre o foram.

Como não poderemos nos abraçar efusivamente no domingo, estou deixando esse texto impresso para que as gerações futuras saibam que a pandemia nos afastou da comunhão física, mas os laços fraternos ficaram cada vez mais apertados. Às nossas mamães desejamos um lindo dia em família com muitas homenagens e reencontros.

Pastor Levy de Abreu Vargas