header-28ago2022

NOSSA AGÊNCIA MISSIONÁRIA NÃO PODE PARAR

Na quinta feira 11 de agosto de 2022, eu, o Pastor Sotero e cerca de 40 pastores fomos convidados a tomar um café com o Pastor Fernando Brandão, secretário geral da Junta de Missões Nacionais. O café na verdade, foi apenas uma desculpa para que nosso coordenador pudesse nos reunir e dar um amplo e comovente relatório de tudo que a Junta de Missões Nacionais está fazendo nesse exato momento, e não é pouco.

A JMN é um órgão criado pela Convenção Batista Brasileira e tem por missão multiplicar discípulos de Jesus em solo brasileiro. Ela foi organizada em 1907 e desde então tem superado desafios em nome da visão para alcançar esse imenso País com o Evangelho de Jesus Cristo. Hoje ela está presente em todos os Estados da Federação e no distrito Federal.

A JMN não se limita apenas a levar a palavra de Deus e a plantar Igrejas. Há cerca de 170 projetos sendo desenvolvidos e a maioria deles voltados para as necessidades sociais que são imensas. Talvez o mais conhecido deles seja a Cristolândia, mas ele é apenas a parte mais visível, pois há muitos outros. Soubemos por exemplo que nossas Igrejas estão abrigando e alimentando cerca de 160 refugiados afegãos. Eles conseguiram visto de entrada no Brasil, mas foi a Igreja Batista Brasileira, em parceria com alguns empresários piedosos que os receberam. Só os afegãos custam aos cofres da JMN 170 mil reais todos os meses em energia elétrica, alimentação, vestuário, assistência médica e remédios.

Recentemente o casal Jonas/Larissa de nossa Igreja fez a viagem missionária pelo Rio Solimões no Amazonas. Além de fazer discípulos, esse barco leva médicos, dentistas e ajuda humanitária aos ribeirinhos. Estamos também presentes em dezenas de aldeias indígenas, em vários presídios, em hospitais com as capelanias e mais recentemente a junta adquiriu a Carreta Missionária para o trabalho itinerante de evangelismo e assistência social.

Nos anos de 1988 a 1994 eu e Leonor servimos como Missionários no Paraná e tínhamos orgulho em ser sustentados por essa agência, mas agora nós somos parte do seu sustento como Igreja, porque a obra de Deus não pode parar.

Pastor Levy de Abreu Vargas

Pastor Levy de Abreu Vargas

UMA SEMANA PARA PENSAR O MUNDO

Amanhã, segunda feira, daremos início a mais uma jornada de oração. Serão cinco dias de encontros diários aqui no Templo para cantar, orar e ser edificado na Palavra de Deus. Como fazemos sempre, vamos relacionar os participantes para trazer à memória lá no futuro aqueles que no passado souberam usar a mais importante ferramenta que o Senhor confiou à Igreja: A oração.

Não é apenas para orar que estamos separando cinco semanas por ano. Nesses encontros temos também a oportunidade de viver a comunhão, a edificação, compartilhar a fé e o amor Cristão. É a oportunidade de ver e ser visto pelos irmãos. A oportunidade de conhecer e se dar a conhecer em uma cultura que está muito focada em si mesmo. É a oportunidade de “destravar” a timidez e criar laços afetivos dos quais somos tão carentes.

A Igreja é a comunhão dos santos. O ponto de encontro daqueles que buscam em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça e sabem que as demais coisas lhes serão acrescentadas naturalmente e oportunamente. A Igreja em Jerusalém era solidária e comunitária, apesar das hostilidades externas. E porque eram exatamente assim, caiam na graça do povo e o Senhor ia acrescentando dia a dia os que iam sendo salvos.

Fico triste em saber que muitos pensam que o culto é um evento ou entretenimento. Não é, nunca foi e nunca será. Culto em primeiro lugar é adoração, é despojamento de si mesmo, é busca da face de Deus, é quebrantamento e reconhecimento da graça e da glória de Deus. Se nos humilharmos e orarmos e buscarmos a sua face ele nos ouvirá e nos abençoará. Por isso o Senhor nos pediu para inserir na agenda da Igreja a oração.

Faça um propósito com você mesmo e “sacrifique” parte de suas noites ao longo dessa semana, e venha orar conosco. Começamos às 19.30 e encerraremos no máximo às 21h.

Pastor Levy de Abreu Vargas

Pastora Terezinha Mendes de Jesus

PRINCÍPIO DE SERVIR

Servir a Deus também implica em seguir o que Ele mandou. Jesus disse aos discípulos: “Quem me serve precisa seguir-me; e onde estou, o meu servo também estará. Aquele que me serve o Pai o honrará”. Servir ao Senhor implica seguir os seus mandamentos. Deus ama e se agrada de quem serve as pessoas de coração aberto e será ele colocado em uma posição diferente aqui na terra.

O serviço ao próximo deve ser feito por prazer e de forma voluntária. Nada deve ser feito por obrigação. Quando isso acontece surgem feridas emocionais e deixa de ser abençoado. Na jornada da vida às vezes se faz necessário andar duas milhas, para cumprir os princípios de servir (Lucas. 17:10). Não podemos fazer só o que for mandado. É necessário fazer um pouco mais, a fim de não sermos considerados como servos inúteis. A atitude de alguém muda quando estamos dispostos fazer um pouco mais.

Existem pessoas que só fazem o que se manda, não são capazes de ir além, mas quando estamos dispostos a fazer um pouco mais, Deus nos dá além do que pedimos ou pensamos. O milagre acontece quando andamos a segunda milha e deixarmos de ser servos inúteis. Temos exemplos no ministério, na oração, na comunhão com os irmãos, na família ou no emprego. Você é observado o tempo todo e sua atitude será lembrada pelo patrão na ocasião da promoção, porque todo trabalho deve ser direcionado para Deus fazendo com alegria: é o primeiro a chegar e último a sair no local do trabalho. Sempre faz um pouco mais e trabalha com empenho.

Tomemos com o exemplo a vida de José, filho de Jacó e Raquel. Ele estava com seu coração sempre disponível para Deus, apesar dos reveses. Por fim o Senhor o revestiu de autoridade e capacidade diante de Faraó e tornou-se o governador por excelência de todo o Egito e salvou o mundo da extinção pela fome.

Todo serviço tem seu valor. Não há nada exageradamente grande ou pequeno demais que não mereça ser feito da melhor forma que pudermos fazê-lo.

Pastora Terezinha Mendes de Jesus do Nascimento.

SELAH A voz do silêncio

“SELAH” A VOZ DO SILÊNCIO

Há no livro de Salmos uma expressão que sempre me chamou atenção: A palavrinha “selah, Selá ou Selãh” conforme a linguagem, pode ter vários significados, mas nenhum erudito responsável foi capaz de dar a última palavra sobre ela. O consenso é que se trata de uma pausa no texto ou na música, conforme a circunstância. Ela aparece também três vezes no livro de Habacuque.

Vamos pensar que ela signifique apenas uma “pausa”, um breve silêncio na leitura, na canção ou na vida. O silêncio faz muita falta em muitas circunstâncias, especialmente se sua atividade está ligada a pessoas, relacionamentos e liderança. Se você trabalha com pessoas é bom lembrar o conselho do nosso irmão Thiago: “Toda pessoa esteja pronta para ouvir, tardia para falar e mais tardia ainda para se irar, pois a ira do homem não opera a justiça de Deus”. Thiago 1.19-20.

Selah. Ouvir o que não se quer é melhor que não ouvir. Selah. Uma pausa para refletir é sempre mais sábio que se irar. Selah. Não é covarde o que se cala, para não descer ao nível de quem o ofende. Selah. O amor cobre uma multidão de pecados. Selah, O tolo fala o que pensa, sem pensar no que fala. Selah, temos dois ouvidos para ouvir e uma noite inteira para pensar. Selah, não precisamos responder a toda provocação e nem ofender a quem nos ofende…Selah, selah, selah…

Uma das lições mais preciosas que tive no curso de Discipulado Dinâmico foi o desafio de ficar um dia sem falar. Falar apenas o que era essencial e sem alongar na resposta. Claro que precisei explicar a Leonor e ela às crianças (à época) o que estava acontecendo, antes que tivessem conclusões precipitadas. O resultado foi surpreendente.

Há muitas vozes e muitas falas à nossa volta. Tente fazer uma pausa e ouvir a você mesmo e seu interior.

Pastor Levy de Abreu Vargas

Primeira Igreja Batista em Nilópolis

CONECTANDO GERAÇÕES DESDE 1939

Durante a semana eu estive circulando pela Igreja e fiquei feliz com as coisas que vi: Várias gerações perfeitamente conectadas servindo e ensinando as crianças a servir o Senhor das mais diferentes formas. A EBF é um evento que une as gerações em torno dos mesmos objetivos que é apresentar Jesus aos pequeninos.

A equipe da Pastora Gilmara tinha aproximadamente 100 pessoas de todas as faixas etárias. Havia casais de idosos, jovens casais, jovens e adolescentes trabalhando com afinco desde 09h da manhã até às 18h quando saíam as últimas crianças. O trabalho começava cedo com uma devocional, passava pelo almoço, lanche e se encerrava à tarde com a preleção sobre o dia seguinte e uma oração. Ao fim do dia todos estavam bem cansados, mas felizes com os resultados.

A Escola Bíblica de Férias é uma marca da Igreja Batista. Eu mesmo participei de várias quando era criança em nossa pequena Igreja em um bairro de São João de Meriti. Naquele tempo de escassez o único adereço dos participantes era uma cartolina cortada pela “Tias” em formato de Coroa com as letras EBF escritas à mão. As histórias Bíblicas eram contadas com a ajuda e fantoches e os heróis da Bíblia iam sendo apresentados ao longo da semana. A hora mais esperada era o lanche com refresco de groselha (sem gelo), bolos e pão sem manteiga. Ainda não existia margarina.

Comparando o passado com o presente avançamos bastante. As equipes hoje são muito bem treinadas, uniformizadas e acompanhadas. As salas são decoradas e quase todas são climatizadas. O templo é ornamentado, há bons equipamentos de mídia e até para as mães que precisavam ficar esperando pelas crianças havia uma classe especial com cursos práticos.

Hoje à noite encerraremos essa edição da EBF em um culto festivo. Será a oportunidade de conhecer os pais, os avós, os tios e os vizinhos que foram responsáveis em trazer essas crianças para serem ministradas em nossa Igreja. Esse é o melhor exemplo de conexão entre as gerações.

Pastor Levy de Abreu Vargas

Primeira Igreja Batista em Nilópolis

PRIMEIRO VOCÊ OBEDECE

No último dia 12 de Julho (3ª feira), o Missionário Edivaldo dos Santos Junior tomou posse como professor na Universidade Federal do Tocantins, Campus de Arraias, cidade que fica a noventa quilômetros de onde ele reside.

Essa História merece ser contada, embora o espaço seja pouco. Vamos tentar ser breve. Em 2012 ele era professor em vários lugares aqui na Baixada e participou no período de férias de um projeto chamado “Plante Igrejas e colha almas”. Era um esforço da PIBN para construir um Templo lá em Conceição. Ele já era formado em Teologia pelo Seminário do Sul, mas a luta pela sobrevivência o estava afastando da sua verdadeira vocação. Por esse tempo já era casado e o Isaque estava a caminho.

Mais ou menos um ano depois desse projeto o chamei para uma conversa. Queria saber dos seus projetos para o futuro. Nessa conversa desafiei o casal a visitar nosso campo missionário. Precisávamos de um obreiro e eles estavam prontos. Era verão e o cerrado irradiava calor por todos os poros. Em Conceição eles passaram vários dias e quando voltaram estavam decididos: Aceitaram renunciar aos empregos como professor e lançarem-se ao desafio Missionário.

A Igreja convocou um concílio de Pastores para o seu exame (ele, Pastor Charles e o saudoso Pastor Adalberto Luz), após o concílio nos laçamos freneticamente aos contatos necessários para que eles chegassem lá com um mínimo de dignidade que o trabalho merecia. Já na chegada Deus os abençoou com um imóvel próprio, nas condições que podiam pagar. Quatro meses depois os irmãos Josué e Márcia Gouvêa foram visitá-los e na volta desafiaram a Igreja a comprar um carro para que realizassem melhor o trabalho. O carro foi comprado e levado em mãos. Depois, ano-a-ano eles vinham e iam trazendo notícias dos campos e levando esperança. Os desafios eram grandes, mas eles eram ainda maiores e a obra foi sendo feita. Em 2018 levamos um grupo de aproximadamente 30 pessoas para organizarmos a Congregação em Igreja e foi uma festa de vários dias.

Nem tudo era perfeito, houve enfermidades, escassez de recursos, solidão e o distanciamento dos amigos. Em outubro de 2019, no mesmo dia que nasceu o Davi (3º filho do casal), Pastor Edvaldo sofreu um grave acidente. Por pouco não foi carbonizado com o carro. Eu e seu sogro pegamos um avião e fomos literalmente ficar com ele no hospital em Porto Nacional. Desse acidente surgiria no dia seguinte o grupo Intercessores.

Apesar das dificuldades, em 2020 ele passou por uma banca examinadora e colou grau como mestre em Sociologia. Em 2021 recebeu o convite do Prefeito da Cidade para ser diretor de duas escolas da rede municipal e agora passou em um concurso e tomou posse como professor Universitário. Um feito para poucos.

Primeiro você obedece…. Depois a vida acontece.

Pastor Levy de Abreu Vargas

Primeira Igreja Batista em Nilópolis

LÁ SE VAI O NOSSO PEREGRINO

Hoje pela manhã estaremos nos despedindo oficialmente do casal Pastor Charles Eduardo Ferreira Gomes e sua esposa, irmã Fabrícia Dorotéia Sampaio Figueiredo Ferreira Gomes. Eles passaram a pertencer de fato à nossa Igreja em 19 de setembro de 2007, mas já estavam cooperando conosco há mais de um ano. Eles e suas filhas Raissa e Raffaela nos ajudaram bastante em muitas áreas da Igreja, especialmente na música, nos encontros de casais e em Missões.

Raissa casou-se com o Pastor Alejandro e migraram para a França onde residem e exercem um trabalho pastoral na Igreja que receberá a família que se despede. Raffaela casou-se com o Daniel e ambos residem em Lisboa-Portugal. O casal ficou para trás e agora vai se unir a eles dando continuidade àquilo que sempre fizeram: trabalhar para o Reino de Deus.

“Charlito” (como o chamo na intimidade) sempre foi um peregrino. Sua vida sempre foi viajar, conhecer lugares, testemunhar do evangelho e fazer amigos. Primeiro na Marinha, onde permaneceu por cerca de 30 anos. Ainda na Armada (mas desembarcado), criou a MISSÃO JOSUÉ que tem como especialidade promover viagens missionárias para jovens de todas as idades. Eu mesmo participei de uma dessas expedições no Chile e foi inesquecível. Ainda sinto nos pés o frio da água de uma geleira na Cordilheira dos Andes onde posamos para fotografias. Isso foi em 2006.

Mas o nosso pequeno Charles não parava. Um dia estava pregando em algum lugar, em outros estava participando de encontro de casais e em outros ainda missionando em algum lugar do Brasil ou do Exterior. Era de fato um peregrino que ia pelo mundo e voltava à Igreja para dar relatórios, relaxar, recompor e pegar a estrada de novo. Mesmo assim ele e sua família contribuíram bastante com nossa Igreja.

Hoje fechamos uma etapa, um ciclo, uma fase de sua história familiar conosco. Mas a história vai continuar na Europa, e eles sabem que aqui é o Lar para onde podem voltar sempre que desejarem…

Vai peregrino, “o mundo é a tua paróquia”

Pastor Levy de Abreu Vargas

Primeira Igreja Batista em Nilópolis

SUA OPORTUNIDADE CHEGOU!

Os tempos estão difíceis, mas a Igreja tem trabalhado com determinação para torná-los um pouco mais suaves e trazer oportunidades aos nossos vizinhos Nilopolitanos. Por isso, na semana que se inicia estamos promovendo mais uma edição dos Cursos profissionalizantes da Missão Triunfar.

Essa será a terceira vez que trazemos a equipe da irmã Elen à nossa Igreja, e a segunda do ano de 2022. Em Janeiro eles treinaram cerca de 500 pessoas (jovens e adultos), das quais muitas já estão inseridas no mercado de trabalho. São cursos livres e de curta duração, mas eficientes nos resultados. O “mix” do que estão oferecendo está na página 03 desta edição.

Os cursos são grátis, mas para se inscrever você precisa trazer dois quilos de alimentos não perecíveis. Esses alimentos não ficarão com a Igreja. Tão logo o curso se encerre, entraremos em contato com a Junta de Missões Nacionais e encaminharemos toda a doação para os diversos centros de acolhimento de dependentes químicos mantidos por ela. Nosso propósito é servir.

As atividades da Missão Triunfar também não vão prejudicar nenhum programa da Igreja. Todo treinamento será na parte da manhã, e como a maior parte das nossas atividades ocorrem à tarde e à noite, nosso espaço também está garantido.

Ainda que esses cursos não lhe interessem, compartilhe com outras pessoas, muitas ainda estão à margem do trabalho formal por falta de formação e treinamento, e para elas talvez, essa seja a porta aberta que tanto procuravam.

Pastor Levy de Abreu Vargas

Primeira Igreja Batista em Nilópolis

MIL DIAS DE ORAÇÃO

Venha se alegrar conosco

No próximo dia 23 de Julho o grupo intercessores completará “1000 dias de oração”. Esse grupo de WhatsApp era eventual e convocado apenas quando a situação era muito grave. Ele se reuniu a primeira vez (não com esse nome) quando em junho de 2015 o irmão Nilton da Silva teve que voltar para o CTI quando já tinha previsão de alta. Fizemos um clamor por ele e duas semanas depois ele teve alta

A segunda vez foi pelo nosso diácono José Carlos. Ele teve um mal súbito, foi medicado, oramos e ele voltou para casa, então dissolvemos o grupo. Dias depois o Pastor Edivaldo dos Santos teve um grave acidente de carro em Tocantins e o reativamos. Depois o José Carlos voltou para o hospital em estado grave e decidimos continuar orando até que ele tivesse alta. Por esse tempo alguém me disse: “Pastor, não desativa mais esse grupo, há sempre alguém precisando de oração!” Isso foi em outubro de 2019, à época tínhamos pouco mais que 30 intercessores.

Desde então os intercessores têm orado todos os dias. Às vezes mais, às vezes menos, mas todos os dias oramos por pelo menos 10 nomes e os mantemos na agenda até que a situação se defina. Recentemente fizemos um cálculo simples para avaliar o alcance desse ministério, e descobrimos que se apenas 10 pessoas orassem pelos 10 pedidos a cada dia, em 100 dias teríamos levantado 10 mil orações, agora imagine estar orando sistematicamente por 1000 dias?

A oração é o alimento da alma. Ela é um ato voluntário e intencional que fazemos por nós mesmos e por aqueles que delas precisam. Ela vem antes da Bíblia, da Igreja e das instituições humanas. A primeira menção sobre a oração está em Gênesis 4.26 quando Enos começou a invocar o nome do Senhor. Enos era um homem justo e sua descendência nos trouxe Enoque (que andava com Deus), Noé, Abraão, Davi e o Senhor Jesus. Isso mesmo, tudo começou com um homem que orava.

Para celebrar 1000 dias oração marcamos um verdadeiro evento. Um culto celebrativo que acontecerá aqui na Igreja no sábado 23 de Julho a partir das 19.30h. Agende essa data e venha se alegrar conosco.

Pastor Levy de Abreu Vargas

Pastor Levy de Abreu Vargas

O TERMÔMETRO DA FÉ

Encerramos na sexta feira, 17 Junho nossa 13ª edição das semanas de oração pelo centenário da Igreja. Ao todo serão 100, portanto já chegamos a 13% do total com uma frequência que ainda não dá para mensurar, pois dessas 13 semanas, pelo menos 10 foram durante a pandemia.

Por ironia dos fatos, nessa segunda feira não havia mídia nem transmissão, mas havia som e o encontro contou com a presença de 19 pessoas. Na terça feira melhorou e já pudemos contar com a mídia, na quarta foi ainda melhor e o culto foi transmitido por nosso canal no youtube, na quinta-feira 32 pessoas assinaram a lista de presença. Ao todo devemos ter tido uma média de 50 pessoas por encontro o que não representa 10% da Igreja.

Uma semana a cada dois meses não é um exagero sob nenhum aspecto. As reuniões duram no máximo 90 minutos incluindo louvor, os solos e a mensagem, um tempo inferior por exemplo ao que consumimos assistindo uma partida de futebol sem garantia que vamos vencer. Na oração a vitória é certa como promessa do Senhor Jesus. Mateus 21.22.

Sei que a oração é um duro exercício da fé, como é dura a disciplina na prática dos esportes, mas quem faz atividades físicas regularmente sabe que ela compensa em muito os sacrifícios. O Apóstolo Paulo escrevendo aos irmãos da Igreja em Corínto usou a metáfora dos esportes olímpicos para ilustrar a vida Cristã. Ele disse: “Não sabeis vós que todo aquele que luta, de tudo se abstém para alcançar o seu objetivo que é uma coroa corruptível? Mas vós, porém alcançareis um coroa de glória incorruptível”. I Coríntios 9.24-27.

Não foi apenas mais uma semana de oração. Ela foi também de comunhão, de encontros, de afetos, de conforto e de compartilhamento. Pastor Douglas (como todos os anteriores) foi um poderoso instrumento de Deus para nos instruir e nos despertar para a responsabilidade com o Reino de Deus. Nossa próxima semana agora será em agosto e espero poder contar com um número maior de participantes para o bem da Igreja e de nossas famílias nos desafios que já estão batendo à nossa porta.

Nossa temperatura precisa subir e vai subir para que o nome de Jesus seja glorificado.

Pastor Levy de Abreu Vargas