Posts

Pastoral da Primeira Igreja Batista em Nilópolis

O OTIMISMO NÃO PODE ACABAR

As redes de noticias estão mais ativas que nunca. O mundo está em clima de pânico e a morte é uma realidade diária para milhares de famílias, apesar disso o nosso otimismo e a nossa alegria não podem ficar apagadas pelas razões que vou listar abaixo:

a) Somos a Igreja de Jesus Cristo para o mundo. Somos os despenseiros da glória de Deus para essa geração e a esperança do Senhor para anunciar o seu Reino. Até os anjos gostariam de ter esse privilégio, mas foi aos homens que ele confiou a Missão. I Pedro 1.12;

b) Somos cidadãos na terra e herdeiros do céu mediante a promessa de Jesus Cristo. Enquanto estamos na terra cumprimos o IDE de JESUS, quando terminar nossa jornada receberemos o “VINDE BENDITOS DE MEU PAI” e entraremos na herança que nos está reservada desde a fundação do mundo. Mateus 25.34;

c) Somos o povo mais feliz da terra. Estamos sujeitos às mesmas provações e aflições que o mundo inteiro, mas a diferença é que sabemos que essas aflições não são para comparar com a glória que nos está revelada. O sofrimento não é expiação ou purificação dos nossos erros, eles fazem parte da agenda divina na natureza humana, por isso coisas ruins também acontecem a pessoas boas, mas em tudo sabemos que no final seremos vencedores por Cristo Jesus. Romanos 8.18 e 37.

Então vamos levantar a cabeça e caminhar, pois nosso descanso definitivamente não será aqui. A situação do mundo no momento não é boa, mas vamos sair desta situação melhor do que entramos, pelo menos sairemos mais humanos, mais solidários, mais humildes e mais conscientes da nossa finitude e vulnerabilidade.

Enquanto convivemos com a tragédia não anunciada, olhemos para aquele que é o autor e consumador da nossa fé e descansemos nele e em suas promessas, sabendo que nada pode nos separar dele e do seu amor.

Pastor Levy de Abreu Vargas

Fé

Um jeito diferente de ver as coisas da Fé.

“Para Jürgen Moltmann a morte de Jesus Cristo nunca poderá ser vista como acontecimento inexorável. Ela não é o simples cumprimento das profecias do Antigo Testamento. Ver a morte de Cristo como pura realização de vaticínios do passado distante acabaria por roubar-lhe a sua maior riqueza. Ela acabaria por se converter num ato dissociado da vontade livre de um homem liberto para amar. Dono de um amor que nunca conheceu fronteiras ou limites”.

Essa semana de E.B.F. com 400 crianças, 120 pessoas na equipe e 60 mães, sentimos e vivemos intensamente desse amor sem fronteiras e limites. Aos olhos humanos, quase uma “loucura”, mas o Dono desse amor nos sustentou, nos fortaleceu a cada dia.

As experiências não foram as mais importantes, mas sim, aquele que experimentamos por meio delas.

Durante toda essa semana, Jesus nos fez um convite: “Venha ser meu discípulo, seja meu discípulo, faça parte do meu grupo de discípulos. Me siga pelo resto da vida”. E esse convite urgente se estende “a todos e não apenas aos extraordinários”. Jesus convida pessoas como você e eu. Não importa quem você é, sua idade, seu sexo, sua classe social, seu passado. Jesus está nos chamando para andar com Ele e ser um dos Seus discípulos. Após essa E.B.F. é impossível não sentir o coração inundado pela convicção de que Jesus Cristo deve ser o centro absoluto de nossa vida.

Seguir a Jesus implica prestar atenção nEle, olhar atentamente para tudo o que Ele faz, ouvir o que Ele diz, perceber os milagres que Ele realiza, imaginar e dar atenção à maneira como Jesus se relaciona com Seu Pai, porque a grande ambição de um discípulo é ser igual ao seu mestre. Que essa seja a ambição da equipe E.B.F. 2015: tornarmo-nos pessoas iguais a Jesus. Somente a proximidade gera intimidade. Na intimidade com Jesus que somos transformados. “Para que sejamos um discípulo de Jesus, precisamos deixar que a poeira dos pés de Jesus nos cubra” Pr. Ed René Kivitz.

Foi para pessoas como eu, você e todas as crianças que estavam aqui essa semana, que Jesus veio. “Sigam-me, e eu os farei pescadores de homens”. Mateus 4.19.

Obrigada a toda igreja, amigos e equipe por fazer parte dessa experiência.

Gilmara Ferreira Pina de Santana
Ministra Infantil