Posts

Pastor Levy de Abreu Vargas

“A PANDEMIA ACABOU”

Esse será o nosso último domingo em regime de pandemia. Foram quase seis meses de exceção sem a presença física dos irmãos no Templo, embora todos os dias estivéssemos presentes através de vídeos e outros recursos que a modernidade nos proporcionou, mas sabemos por experiência que nada supre a presença física.

Estamos com saudades, estamos carentes, estamos sedentos da comunhão tão própria da Igreja. O risco ainda existe, ele nunca deixou ou deixará de existir, mas se tivermos os cuidados necessários poderemos ter o melhor da vida Cristã que é a liberdade, a alegria, a paz e a certeza de dias melhores no futuro. Cremos que o pior já passou e nós sobrevivemos, portanto vamos celebrar, cantar e servir a esse Deus que tudo pode e tudo faz pelos seus filhos.

Pela manhã teremos o lançamento da campanha de Missões Nacionais com a presença garantida do Pastor Fernando Brandão. Ele é um homem vibrante e tem o coração focado na evangelização do Brasil. Graças a ele, sua equipe e as ofertas da Igreja, os Batistas Brasileiros estão presentes em todo território Nacional, inclusive nas comunidades e nas aldeias indígenas. Será uma oportunidade rara de ouvir um homem que tem sido uma ferramenta poderosa nas mãos de Deus.

À noite, voltam as nossas reuniões presenciais nos cultos vespertinos. Para essa reabertura estamos convocando principalmente os jovens, aqueles que têm menos de 40 anos, solteiros ou casados para que saiam do isolamento e venham encher de alegria o templo prestando ao Senhor um culto vivo e agradável.

Claro que a pandemia não acabou, mas ela não será mais impedimento para adorarmos e servirmos ao Deus vivo que amamos e servimos há muitas gerações.

Pastor Levy de Abreu Vargas

Pastor Levy de Abreu Vargas

“HOME OFFICE, ABAIXO AS INSTITUIÇÕES”

O Home Office é uma expressão que ganhou força nestes tempos de isolamento social. Com o fechamento obrigatório das atividades consideradas não essenciais, escassez de transporte e os riscos iminentes de contaminação, um contingente enorme de pessoas passou a cumprir as suas tarefas de casa plugado a um servidor de internet.

Mas o que parecia ser uma oportunidade de conforto e autonomia, passou a ser um pesadelo para os profissionais que viram sua agenda e vida privadas devassadas pelas demandas de sua empresa e da família confinada em um espaço limitado. Reuniões, tarefas, prazos, cobranças e ameaças começaram a fazer parte de uma rotina que antes tinha hora de começar e terminar.

A Igreja também ganhou sua versão “Home Church”. Os cultos são online, a Escola Bíblica Discipuladora também. Os Ministérios se reinventaram e até celebrações de aniversário se fazem de “corpo ausente”. Até a celebração da Ceia do Senhor teve que ser remota, tudo à distância, tudo muito tecnológico e ruim, pois as ferramentas não funcionam 100%. O grande ganho de tudo isso foi ver idosos se superando e participando das reuniões do GIDO.

Mas os danos desse tempo só poderão ser mensurados depois que acabar a pandemia, se ela acabar. As empresas verão seus números crescerem ou diminuírem, mas perderão a vida nos refeitórios, os diálogos dos corredores e elevadores. As escolas já estão desertas, os pátios vazios e os professores dispersos. Os Templos vazios, as luzes apagadas, nenhum contato, nenhuma história, nada a comentar após os cultos…

Concluindo: Home deveria ser apenas lar, Office apenas escritório, Church apenas Igreja, e Class apenas classe, pois quando se juntam a outros nomes a coisa não fica legal. Afinal, Casa é casa, trabalho é trabalho, Templo é Templo e escola é escola. Não deixe que este “vírus chinês” acabe com essas instituições.

Pastor Levy de Abreu Vargas