Posts

post_11fev18

APRENDENDO A ORAR COM JESUS AO DEUS QUE NOS CONHECE

Ao dizer na oração do Pai Nosso que Deus sabe o que é necessário para nós, Jesus estava ensinando na oração sobre a onisciência de Deus. Deus é um ser onisciente. A palavra onisciente é formada do prefixo de origem latina ONI, que significa aquele que tem conhecimento de toda coisa.
É justamente aqui que pode abrigar as nossas crises relacionadas às orações que fazemos. É o momento de perguntas diante do fato ruim que nos acometa, e Deus, sendo onisciente permite o infortúnio. São os porquês que são colocados diante de Deus, para os quais Deus se cala, e nos aborrecemos.

O que você responderia às famílias do Submarino ARA San Juan, que desapareceu no dia 15 de novembro de 2017, com 44 pessoas a bordo, e Deus sabia que aconteceria aquilo? Você não responderia absolutamente nada. Há coisas que nós não desvendamos, porque o nosso raciocínio está relacionado às coisas da terra, é raciocínio raso.

Paulo, o apóstolo, tinha também suas limitações ao tentar compreender o porvir. Ele entendia que via as coisas de Deus como por espelho, em enigma, mas um dia conheceria completamente quando estivesse face a face com Deus (1 Co. 13.12).

Apesar de limitados que somos, é importante refletirmos sobre o Deus que nos conhece, com base na explicação de como devemos orar (Mt. 6.8). O Deus que nos conhece é sabedor das nossas dificuldades. Esse saber de Deus é uma de suas qualidades, a onisciência. Isso quer dizer que Ele sabe de tudo que esteja ocorrendo conosco, nós sabemos em parte.

O salmista teve essa experiência. Ele escreveu que Deus conhecia o seu sentar e o seu levantar; de longe entendia o seu pensamento (Sl. 139.1-2). Num outro contexto o profeta Isaías registrou: “E será que, antes que clamem, eu responderei; estando eles ainda falando, eu os ouvirei” (Is. 65.24). Deus nos conhece e fará o melhor para nós, embora não entendamos os vendavais da vida que naufragam nossos barcos.
O Deus que nos conhece sabe das dificuldades antes de nós. Isso significa que ao pedir a Deus um emprego, Ele já o sabe. Pode surgir novamente aquela surrada pergunta: se sabe, por que pedir? Acontece que pedir é algo totalmente bíblico. Foi Jesus quem nos ensinou a pedir por meio da oração (Mt. 7.7-11).

Conta-se que George Müller orou durante cinquenta e dois anos pela conversão de alguém que lhe era querido. Só um tempo depois de sua morte que a pessoa conheceu a Cristo como seu Salvador. Pedir foi a parte que coube a Müller, fazer foi a parte de Deus. Pedir é a nossa parte. Fazer é a parte de Deus. Vivamos nessa esperança, dizem que ela não morre.


Pastor Antonio Carlos de Lima